3 maneiras de conseguir crédito para minha empresa

3 maneiras de conseguir crédito para minha empresa
3 maneiras de conseguir crédito para minha empresa

Até que uma empresa tenha uma boa reserva financeira, o suficiente para manter os gastos obrigatórios e ainda subsidiar projetos que vão surgindo, isso leva tempo, e as vezes muito. E é preciso tempo para se obter experiência dos riscos e das possibilidades, e para possuir o que é tão importante: o dinheiro. E, sabendo dessa necessidade e dificuldade que muitas empresas tem, de arrecadar montantes que engordem seu valor de mercado, é que surgem outras dedicadas ao serviço de linhas de crédito. Mas quando e como solicitar créditos? As opções são inúmeras – saibam quais são as mais conhecidas – assim como as suas condições.

Mas quando é o tempo de solicitá-los? Onde e a quem procurar?

Solicitar uma linha de crédito não deve ser a primeira opção dos empreendedores. Isso porque o contrato desse serviço pode dificultar o cumprimento de demandas que podem aparecer e com maior urgência, e do custo com os juros que, a depender da empresa e linha de crédito escolhida, podem variar para cima e tornar aquela tentativa de investimento um acesso à ruína. As linhas de crédito, quando solicitadas, devem ter a finalidade de contribuir diretamente com os resultados de uma empresa, e isso acontece quando elas atuam em âmbitos do tipo: equipamentos e modernização da estrutura, por exemplo. É sempre importante ter em vista os investimentos.

Quanto e como financiar?

É preciso conhecer a real necessidade desse negócio. Se o investimento realmente tem grande importância e pode contribuir direta ou indiretamente com os resultados da empresa, é hora de contratar uma linha de crédito – uma vez que esse valor não exista no caixa da própria empresa.

É preciso planejar, orçando todos os gastos, para evitar ao máximo as surpresas. Durante certa quantidade de meses determinado valor estará destinado a esta dívida, por isso é preciso redesenhar os passos da empresa durante todo esse período. Existem bancos e outras instituições que ajudam empreendedores a chegar ao valor ideal do crédito. Nesses casos, a faixa de valor disponível varia de acordo com os lucros que o contratante obtém em determinado período de tempo.

Conheça agora algumas das principais formas de linha de crédito. Fique atento a elas, pois algumas são simples de contratar, mas não significam que sejam saudáveis para seu negócio.

Cartão de crédito

Uma das mais conhecidas formas de crédito, estes cartões oferecem serviços de forma fácil e rápida. Mas suas taxas – sempre altas – passeiam entre 300% ao ano. Evite essa opção. Isso, sobretudo por haverem outras linhas disponíveis que se encaixam melhor no bolso de qualquer pessoa.

Antecipação de recebíveis

Eis uma opção adequada para empreendedores. Ela, na verdade, é disponibilizada apenas para este público, e oferece condições muito atraentes. Suas taxas variam entre 1% e 3% ao mês, e são cobradas em cima de valores (recebíveis) que as empresas têm garantia de recebimento à prazo. São as securitizadoras que facilitam esses contratos, antecipando os valores solicitados.

Crédito pessoal

Aqui, as taxas variam entre 20% e 30% ao ano. É uma boa opção para pessoas que estão endividadas. Disponível apenas para pessoa física. Uma de suas vantagens é o fato de o usuário solicitar o crédito sem a necessidade de oferecer garantia de pagamento, como um bem, por exemplo.

Qual a instituição ideal?

É aquela onde cabem: taxas, prazos e demais exigências, no bolso da sua empresa. Existem planos de crédito que podem ser contratados para a sua finalidade específica, uma combinação entre bancos e demais instituições que viabilizam mais que o dinheiro, mas também a prestação do serviço que você está necessitando.

Ainda tem o processo de convencimento do banco escolhido, de que sua empresa tem capacidade para arcar com todos os custos desse contrato. Aliás, aproveite as inúmeras exigências que os bancos fazem para pensar em como utilizar todo dinheiro recebido e como ele será devolvido, sem esquecer dos juros que vão se somar ao valor inicial.

Sem dúvida é importante lembrar que, tanto o valor como as condições de pagamento, devem se encaixar no porte da sua empresa, e em como ela está hoje, e não nas suas previsões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.