Todo investidor que valoriza seu negócio, o que investiu nele – seja pouco ou muito –, e que deseja vê-lo crescer, pensa em quais estratégias podem tornar isso possível e, de preferência, em curto prazo de tempo. Mas, acumular bom capital de giro não é tarefa fácil. Para isso, um primeiro passo é que gestão e equipe cumpram seu papel. Aqui, os sistemas de gestão, que hoje não são mais novidades e nem custam tão alto, entram em cena. Eles cumprem o eficaz papel de orientar os gestores a respeito dos investimentos mais acertados para cada tipo e fase de um negócio.

E quando o assunto são as questões financeiras é bom contar com uma ajuda mesmo. Não são todas as iniciativas que resultam em retorno favorável para seu empreendimento. Por isso é válido acompanhar as novidades do mercado financeiro, sempre tendo em vista as novas formas de obtenção de lucro, a curto e longo prazo. E, de preferência, sondar as possibilidades de investimento que não tragam consigo uma vasta presença de taxas de juros.

Uma das opções de linha de crédito, hoje oferecidas por bancos e demais instituições, é a antecipação de recebíveis. Elas se mostram como atraentes, a começar por suas taxas de juros, que não significam ameaça para o seu negócio. Conheça agora um pouco do crédito de antecipação e saiba quando é o tempo e a fase ideal, do seu negócio, para contar com essa ajuda.

1. Quando as linhas de crédito não significam bons investimentos

Antecipação de recebíveis: o guia para fazer crescer o seu negócio

Mas é preciso lembrar que, nem sempre, facilidade é sinônimo de economia. E em matéria de facilidade, as opções são extensas e, realmente, muito favoráveis, pelo menos para quem procura obter recursos em curto prazo de tempo. Mas cuidado! Como diz o ditado, não adianta cobrir um santo e descobrir outro. Algumas opções de linhas de crédito são bons exemplos disso. Os cheques especiais, por exemplo, ocupam o topo do ranking. As suas taxas de juros chegam a 318% ao ano. Não muito atrás estão os juros de cartões de crédito, que variam entre 175% e 300%, também ao ano.

Estes, claro, podem significar – e significam – um relevante risco à sua empresa. Mas não ficam sozinhos na lista. Existem ainda os créditos pessoais, que têm taxas de juros que variam de acordo com o contrato de cada banco, e que atendem, sobretudo, a necessidades menores. Nestes casos, os juros passeiam entre 20% e 120% ao ano. Não melhores – ou não menos perigosos – porque existem os empréstimos com garantia de imóveis e veículos. Nestes casos, os juros realmente não tem porque ser grandes, já que os contratos preveem estes bens como garantia de que as empresas de crédito não sairão prejudicadas.

2. Antecipação de recebíveis: uma opção de investimento que une baixo custo e rapidez

Como já foi dito, esta é uma opção de linha de crédito que se mostra muito promissora. Destinada exclusivamente à empresas, podem contratar este serviço aquelas que vendem produtos ou serviços na modalidade à prazo. A contratação desse serviço se dá entre essa empresa que necessita da antecipação dos seus recebíveis e uma empresa securitizadora. Sobre as securitizadoras falaremos já, mas antes vale ressaltar que esse contrato se dá quando determinado empreendimento pretende obter um valor (recebível, referente às vendas feitas e aos valores que serão recebidos) em curto período de tempo, antes do prazo acordado com o cliente.

Não é raro que empresas, dos mais variados portes e nichos, ora ou outra alimentem o desejo de procurar linhas de crédito por motivo de investimento ou para arcar com um gasto imprevisto, por exemplo. Por estarem, essas transações, fora do alcance do capital de giro, a saída é recorrer às variadas formas de crédito. No meio das opções, o empreendedor pode encontrar, a olho nu, aquelas que não valem a pena. Suas principais características são as elevadas taxas de juros. Algumas alcançam ultrapassam a margem de 200% e pode chegar a 300% ao ano – taxas de cartões de créditos e cheques especiais, nesse caso.

Ou seja, em alguns casos não é preciso pensar muito. Estes citados são exemplos disso. E também não é preciso pensar muito quando a opção de linha de crédito são os recebíveis. Mas com estes a história muda, e a favor do bolso do seu negócio.

A antecipação de recebíveis é uma forma segura e econômica de movimentar valores que chegariam ao seu negócio apenas à prazo. Esta é uma saída financeiramente saudável para casos em que seu negócio está precisando de um fôlego mas também quando quer contar com um impulso para continuar crescendo. Os diferenciais da antecipação são muitos, mas vale a pena citar a baixa taxa de juros e a rapidez com que você têm acesso ao valor antecipado.

3. Mas afinal, como funciona a antecipação de recebíveis?

Antecipação de recebíveis: o guia para fazer crescer o seu negócio

Imagine uma empresa que vende determinado produto ou serviço e o faz com a possibilidade de pagamento parcelado, em 10 ou 12 vezes, por exemplo. O cliente recebe o produto mas a empresa que o vendeu receberá aquele valor apenas alguns dias ou meses depois – o que varia de acordo com a instituição onde o parcelamento foi efetuado ou a forma de pagamento escolhida pelo cliente. Em resumo, como o pagamento é à prazo, o vendedor não terá motivos para receber aquele valor em curto prazo de tempo.

Mas, continuando a hipótese, imagine que surge um gasto imprevisto ou a intenção de investimento, por parte desse vendedor. Ao invés de esperar o tempo acordado, para ter acesso aos recebíveis, ele pretende acelerar esse processo. Esse é o cenário ideal para conhecer e se beneficiar com as antecipação dos recebíveis, crédito que pode, também, ser chamado de adiantamento de recebíveis ou desconto de duplicatas.

E se você pensa que essa linha de crédito se encaixa apenas para a antecipação de valor pagos à prazo, se engana. Até os pagamentos feitos à vista, em alguns casos, não ficam disponíveis imediatamente. No caso das compras feitas em cartões de crédito, por exemplo, esse valor pode ser recebido pelo vendedor em até 30 dias. E aqui estamos falando de compras à vista. Com o auxílio da antecipação dos recebíveis, os valores ficam disponíveis em até dois dias.

4. Mas e o outro lado da moeda?

No cenário financeiro – e especialmente nele –, a moeda não tem apenas um lado. Além do recebimento adiantado dos valores, os empreendimentos que solicitam esse benefício precisam contar com as taxas que as empresas securitizadoras aplicam sobre o valor que repassam. Ou seja, quem solicita o adiantamento dos recebíveis não recebe o valor integral, já que parte dele fica nas mãos das empresas que, agora, assumirão os riscos e responsabilidades em cobrar os valores que continuarão sendo pagos a prazo. Agora a responsabilidade é dessas empresas, e não mais daquelas que receberam os valores adiantados.

Para saber se essa é a linha de crédito ideal para seu negócio, e se ela se encaixa no padrão e necessidade da sua empresa, é preciso levar em conta os números. As taxas de juros podem variar de acordo com a bandeira dos cartões de crédito, bem como com a dimensão dos valores que serão antecipados e em quanto tempo eles serão pagos. Saiba mais sobre algumas dessas características:

  1. A média de taxas, nas diferentes instituições que oferecem o serviço de antecipação de recebíveis, variam entre 1% e 3%, em média.

2. As taxas, para contratar o serviço de antecipação, variam também de acordo com o porte da empresa. Em alguns casos, elas não são cobradas, é o caso, especialmente, das empresas de maior porte. Por isso, é preciso verificar se o faturamento anual da solicitante está de acordo com o valor mínimo para a isenção da taxa. Isso não quer dizer que as taxas incutidas no valor total a ser antecipado sejam também excluídas ou reduzidas. A taxa desse tópico se refere à adesão do contrato.

3. Outro fator que altera o valor das taxas, de adesão e de desconto do valor total, é o tempo em que os valores serão pagos às securitizadoras. Quanto maior o tempo, dos pagamentos à prazo, maiores serão as taxas cobradas à solicitante. Por isso, prefira vender produtos e serviços a curto prazo, especialmente se sua empresa tem em vista aderir a essa linha de crédito.

4. Para evitar o pagamento de taxas de adesão, algumas empresas de cartão de crédito oferecem a opção de incluir, mensalmente, pequenos valores referentes a essa taxa. Dessa forma, a taxa de adesão, no ato do contrato, não será cobrada.

5. Tipos de antecipação e em quais situações práticas melhor se encaixam

A opção de aderir à antecipação de recebíveis deve variar de acordo com a necessidade do seu empreendimento para determinado período. Ainda que possua taxas, essa linha de crédito oferece propostas mais acessíveis, e não é uma faca de dois gumes, que por um lado beneficia o empresário e, por outro, tira dele boa parte dos seus recebíveis, pela via das taxas de adesão e mensais.

Mas é hora de aplicar essa teoria à situações práticas, semelhantes às que seu negócio pode se encontrar. Antes de saber e escolher a melhor opção de antecipação, é importante que você já saiba qual a atuação situação da sua empresa, e tenha em mente onde quer chegar quando estiver com o dinheiro em mãos. Acompanhe agora quatro situações financeiras que se encaixam perfeitamente em outras quatro opções de antecipação. Estas podem ser parcial, integral, pontual ou automática.

Situação 01 – Antecipação Parcial

Se seu negócio já tem mais de um ano no mercado, você já sabe que existem períodos em que os gastos são mais altos que em outros. O pagamento do décimo terceiro salário é um exemplo disso. É um gasto fixo para determinado período do ano e você pode se preparar, especialmente e financeiramente, para ele. Na opção da antecipação parcial, o beneficiado tem o adiantamento de apenas uma ou algumas parcelas de um todo.

Neste caso, você pode contar com essa linha de crédito apenas para passar por uma fase específica, como é o caso de um gasto extra, além do que se observa nos demais períodos do ano. Ou para pagar os direitos de um funcionário demitido sem justa causa. Contratar a antecipação parcial, nesse caso, não afetará seu orçamento do mês e também facilitará a resolução de uma questão contratual que pode render dor de cabeça.

Situação 02 – Antecipação Integral

Agora imagine que seu negócio está precisando de um investimento de grande porte. Seja para a mudança na estrutura física, modernização de instrumentos de trabalho, pagamento de dívidas que estão se arrastando e crescendo, compra de uma sala ou espaço maior ou abertura de uma primeira – ou outra – loja física, por exemplo. Nestes casos, dificilmente vai adiantar a antecipação parcial (apenas se seu empreendimento for de grande porte, e tiver grandes entradas mensais). Caso contrário, o ideal é antecipar determinada dívida por inteiro. Elimine-a do seu orçamento e aplique todo o dinheiro nesse investimento.

Agora, certifique-se de que esse investido irá retornar em forma de lucro. Se isso for acontecer – aqui é preciso contar com um eficaz planejamento – não tenha receio de contratar a antecipação integral.

Situação 03 – Antecipação Pontual

Este tipo de antecipação se dá quando você pretende adiantar o recebimento de uma venda específica. É uma modalidade aproximada da antecipação parcial e deve ser aplicada em casos em que seu negócio tenha em vista arcar com um gasto que raramente o visita.

O exemplo do pagamento de décimo terceiro salário não se encaixa aqui pois este gasto é fixo, ainda que apenas uma vez por ano (ou duas, nos casos em que houver antecipação e parcelamento do pagamento). Para essa antecipação, é importante que sua empresa queira pagar uma dívida rara.

Situação 4 – Antecipação Automática

Contrate o serviço de antecipação automática para casos em que seu negócio precisará arcar com gastos fixos e com certa periodicidade. Se estes forem semanais, quinzenais ou mensais) conte com a ajuda dessa antecipação e não precisará preocupar-se com o acordo de novos contratos de antecipação para o pagamento das dívidas periódicas.

Contrate essa modalidade em casos de manutenção da estrutura física ou instrumentos de trabalho, que se dá com periodicidade estipulada, férias de funcionários ou atualização de sistemas de softwares, por exemplo, que ocorrem em tempos já pré-estabelecidos pela sua empresa.

6. O papel das empresas securitizadoras: o passo a passo para contratar o serviço de antecipação

Um dos personagens principais desses negócios são as empresas securitizadoras. Elas cumprem o papel de oferecer o serviço às empresas que desejam solicitar a antecipação. Seus critérios podem variar de acordo com o perfil da sua empresa, mas normalmente são muito semelhantes, e entram em cena em cenários igualmente parecidos.

1. O primeiro passo sempre é da parte do interessado em antecipar os recebíveis. Um empresário, por exemplo, deve procurar um banco que ofereça esse serviço ou uma fintech – é um termo que surge com a junção das palavras financial e tecnologia. Ele figura empresas que oferecem serviços operacionais incomparavelmente menos caros; são startups (em sua maioria) que melhoram serviços oferecidos pelo mercado financeiro.

A antecipação de recebíveis, por exemplo, é uma modalidade de oferta financeira oferecida pelas securitizadoras, e essas startups trabalham alimentando a concorrência e oferecendo serviços como este – de antecipação – a custos menores, como é o caso da Firma Capital, que trabalha a mais de dez anos no mercado de securitização.

2. Tendo contatado um banco ou uma fintech, a próxima etapa é conhecer as condições para o serviço: qual o valor das taxas (de adesão e demais) e qual o prazo para antecipação são exemplos de critérios importantes a serem levados em consideração. Essa etapa é uma das mais importantes. É preciso que todos os próximos passos sejam conhecidos pelo empresário solicitante, de modo que este saiba quanto está arcando com o pagamento de taxas, quando irá receber e quando isso ocorrerá.

3. Após ter encontrado a empresa ideal, com taxas que cabem no bolso da sua empresa, o próximo passo é informar os dados da sua empresa, especificamente das máquinas de cartões e dos demais meios de recebimento de valores. Isso ocorre por meio de Internet Banking ou diretamente no site da instituição, quando o acordo é fechado com as fintechs. É aqui que o empreendedor fornece, inclusive, os dados da conta onde deseja receber os valores. E também o tipo de antecipação, se é parcial, integral, pontual ou automática.

As empresas securitizadoras, como a Firma Capital, podem fazer essa troca de valores por diversas formas de obtenção de lucros da empresa solicitante. As compras em cartão de crédito, cheques, títulos e outros formatos estão inclusos nessas possibilidades. Entram, inclusive, processos judiciais em andamento. Neste e em outros casos, as instituições securitizadoras assumem, parcialmente, os riscos de lidar com as dívidas pendentes e seus devedores. Caso estes não cumpram seus compromissos, aquelas empresas que, outrora, receberiam os valores, não deixam de ter algum compromisso e responsabilidade, bem como não estão isentas de análises no contrato, uma vez que já tenham cedido seus acordos com clientes a uma segunda instituição, garantindo os pagamentos nos valores e tempos corretos.

O contrato com securitizadoras não significa, necessariamente e apenas, abrir mão de alguma parcela do valor a receber, mas é sinônimo também de colaboração na cobrança e recebimento dos valores, da parte dos seus clientes. Seu papel será dar maior celeridade na obtenção dos recursos financeiros e contribuir com a manutenção da garantia de que as instituições securitizadoras não sairão prejudicadas.

Os bancos ou fintechs não saem no prejuízo. Eles podem aplicar restrições às empresas que contrataram seus serviços e ainda exigir que paguem os valores que ainda não foram pagos à instituição agora responsável pelo recebimento. Por isso é importante que sejam feitas não poucas análises do crédito, primeiro da instituição contratada e esta, da condição dos devedores, para certificar-se de que realmente irão cumprir com seus compromissos.

7. Saiba ler as oportunidades de investimento que sua empresa oferece

Quando as linhas de crédito surgem como boas oportunidades para respirar ou para fazer o negócio crescer, algumas delas acabam deixando de ser tão atraentes. Isso se justifica porque a antecipação de recebíveis, geralmente, é menos burocrática, rápida e oferece menos riscos para as duas partes, enquanto outras linhas de crédito são mais complicadas e cobram taxas de juros mais altas.

E então, com dinheiro na conta, é hora de aplica-los de forma acertada e acompanhar os efeitos disso. Melhorias no fluxo do caixa, que vai ver uma maior movimentação de valores em prazo curtíssimo, possibilidade de novos contratos de investimento e o saldo com um maior potencial de engordar enche os olhos de qualquer empresário e gestor. Então, mãos à obra: é hora de investir, reservar dinheiro para eventuais situações de emergência e livrar o caixa dos valores negativos.

1. Aposte em novos investimentos

Um caminho seguro a percorrer é identificar os negócios que pertencem à mesma família do seu e firmar contratos de compra e venda. Esta forma de investimento vai assegurar, ao seu negócio, a oportunidade de manter e aumentar os valores que foram antecipados e aplicados. Recorra aos seus fornecedores e clientes e estreite os laços de prestação de serviço por período – idêntico ou semelhante – ao período referente a antecipação dos recebíveis. Neste intervalo de tempo sua empresa não estará descoberta, caso apareçam custos extras e os valores adiantados já tenham sido aplicados.

Os parceiros de negócio são, nas situações de crise, bons apoios para a estabilidade financeira que um empreendimento necessita. Por isso, alie-se à empresas que tendem a crescer e a fidelizar-se à sua.

2. Tenha reserva para suprir os gastos impensados

Nem sempre – ou nunca – o dia a dia da sua empresa vai transcorrer como você havia planejado e, principalmente, da forma mais econômica. Por isso é preciso ter um bom saldo, e não é apenas aquele que está no caixa, suficiente para dar trocos e arcar com os gastos diários.

O benefício da antecipação de recebíveis, nesse caso, fortalece o saldo que sua empresa precisa ter para se manter em momentos de crise, tanto os internos como os externos. Do lado de fora, não há exemplo melhor que crise sanitária da Covid-19. É um exemplo de crise externa que tem o potencial de quebrar muitos negócios, inclusive o seu, caso ele não esteja bem preservado por um saldo que viabilize soluções acertadas. Ou ainda os processos judiciais que podem lhe aparecer, a demissão de funcionários ou problemas sérios na estrutura do prédio são exemplos de problemas internos que não ficam muito atrás dos externos.

3. Livre o caixa do negativo

Outra opção de uso dos recebíveis é o capital de giro. Aqui a antecipação dos recebíveis pode significar um risco. Quais os motivos pelos quais os valores que estão entrando não são suficientes para sanar as urgências da sua empresa? É preciso rever os custos, as entradas e saídas, as despesas dos últimos meses (as que foram planejadas/fixas e as imprevistas) e visitar as metas. Elas precisam influenciar positivamente e diretamente nos lucros. E mais, sua empresa precisa ter saldo suficiente para arcar com os custos frequentes.

A antecipação, nesse caso, fará seu negócio respirar, o que é bom! Mas esta não pode ser uma opção que seja recorrida com frequência, especialmente com a finalidade de livrar o caixa. É preciso não depender desse impulso. Por isso, quando sua empresa estiver nesse estágio, repense, redesenhe as metas, o quadro de funcionários e o que pode ser melhorado para tirar seu negócio da insegurança, de modo que os recebíveis adiantados sirvam para investir e não para cobrir gastos em aberto.

8. Antecipação de recebíveis e o que mais?

Estes valores que irão entrar devem servir, no cenário adequado, para cobrir custos mais elevados que o comum ou para financiar investimentos. Já que serão recebidos de forma antecipada, é preciso que seu negócio esteja preparado para não contar com o pagamento das parcelas que viriam à prazo. O planejamento é o parceiro ideal do seu negócio.

Por isso, é bom conhecer quais os setores e âmbitos da sua empresa que o planejamento – junto da antecipação – mais pode ajudar. Lembre-se sempre que esse valor não deve ser aplicado em pequenos gastos, do tipo que aparece no dia a dia. De pouco em pouco, e por menor que sejam os gastos, eles podem fazer desaparecer todo o valor antecipado. O ideal é que seja aplicado, se não integralmente em um investimento só, em setores de relevância. Se você tem dúvidas de quais cenários são esses, conheça alguns dos que mais retribuem os investimentos:

Primeiro

Aplicar os valores recebidos no cumprimento das dívidas que têm prazos de vencimento muito aproximados. Caso não sejam pagas, essas dívidas se tornarão uma bola de neve, com um potencial cada vez maior de comprometer seu negócio e investimentos. Por isso, quando for aplicar os recebíveis, procure fazer as operações que viabilizem descontos no pagamento à vista. E não esqueça os investimentos. Projete ações que gerem lucros maiores a partir dos primários, de modo que, em curto ou longo prazo, sejam notados resultados e estes se multipliquem.

Segundo

Planeje-se em relação aos riscos que essa antecipação pode gerar. Suas novas vendas precisam garantir as entradas futuras, pelos meses que terão seus recebíveis antecipados. Aqui o risco é antecipar um valor e, no futuro, precisar das parcelas que ele estaria oferecendo, caso não houvesse sido adiantado. Conte sempre com os riscos e o futuro. Seu negócio não pode caminhar, exclusivamente, apoiado nessa modalidade de crédito. Para quem encontra aqui uma opção de investimento, o ideal é que contrate tal serviço em períodos específicos, sempre acompanhando os resultados que foram obtidos em cada uma das vezes em que foram antecipados recebíveis.

9. A antecipação no cenário financeiro e tecnológico atual: PIX

Antecipação de recebíveis: o guia para fazer crescer o seu negócio

Se por um lado o cenário mercadológico não oferece muitas seguranças, já que é instável, assim como o são as taxas e juros para negócios, as inovações tecnológicas que vêm surgindo podem oferecer algum alívio e boa expectativa. A justificativa disso é o fato de as formas de pagamento estarem cada vez mais modernizadas.

As transferências bancárias são um exemplo disso. Se antes os pagamentos podiam ser feitos à distância, sem parcelamento e baixos juros, agora contam com facilidades ainda maiores. E o novo personagem a entrar em cena é o PIX, que atua no Brasil desde outubro do ano passado. Este é um meio eletrônico de pagamento e transferências bancárias. Seu destaque está na ausência de taxas, para o caso de transferências em bancos diferentes, e a rapidez com que os valores chegam ao seu destino. Seu negócio também pode aderir a esta modalidade por meio de bancos e fintechs – como explicado acima.

Mas qual a relação entre o PIX e a antecipação de recebíveis? De forma abreviada, o maior benefício que seu negócio pode ter é o fato de receber os valores das compras no mesmo momento em que são efetuadas. Sem contar com a facilidade em conquistar novos clientes, já que estes poderão pagar as compras sem o acréscimo de qualquer valor.

Com isso, as vendas por cartões de crédito tendem a diminuir, e aumentar as transferências instantâneas. O que isso significa é que mais dinheiro estará entrando no caixa da sua empresa com mais frequência, e em tempo ainda menor se comparado ao prazo da antecipação dos recebíveis. A lógica dessa modalidade é que sua empresa não ficará desassistida aguardando que os valores entrem. Ao contrário, os receberá com velocidade ainda maior e com taxas consideravelmente mais reduzidas.

É preciso ainda lembrar que o PIX oferece a possibilidade do pagamento parcelado, semelhante ao cartão de crédito mas com juros reduzidos. Esta opção de crédito é, igualmente, muito atraente. Em parceria com a antecipação de recebíveis, ela oferece ao seu negócio a possibilidade de contar com valores entrando em caixa com uma boa frequência. E uma forma de chegar a isso é conquistar novos clientes. É um ciclo que precisa ser alimentado. Novos clientes, porque os pagamentos podem ser feitos sem acréscimo de taxas, novos valores entrando em caixa e então a possibilidade da antecipação surge como somatório de estratégias.

10. Com o dinheiro no caixa, quais cuidados sua empresa deve ter?

Antes de solicitar o crédito para sua empresa, é preciso planejar e visitar o seu histórico financeiro, de modo que você faça a escolha certa, desde o valor a receber ao prazo em que seu negócio será, direta ou indiretamente, atingido pelas condições do contrato.

Um dos riscos que você corre é a possibilidade de seus clientes devedores, que terão de pagar suas dívidas às instituições securitizadoras, não cumprirem com suas responsabilidades. Caso isso aconteça, essas instituições voltarão a você e exigirão um auxílio que pode sair caro. Essas exigências estão no contrato, mas elas não tornam ineficaz essa modalidade. Ao contrário! É preciso é que haja planejamento da parte da sua empresa, ao solicitar e ter posse dos recebíveis. Não utilize todo o dinheiro, deixe uma reserva para alimentar seu saldo e suprir as necessidades mais urgentes que podem surgir.

O ideal é que a antecipação de recebíveis não seja a solução dos seus problemas. O que ela pode e deve fazer é oferecer algum alívio momentâneo e ser combustível para o caso de investimentos que têm um grande potencial de retornar e fazer aumentar os valores primários que foram aplicados. Nestes casos, pense duas vezes e averigue as condições, tanto do seu negócio como do investimento que está acreditando valer a pena. Escolha uma das opções de antecipação, planeje e tire os planos do papel. A antecipação de recebíveis pode ser um negócio muito rentável, mas para isso é preciso que sua empresa tenha uma estrutura financeira adequada para recebê-la e saiba o que fazer com o dinheiro antecipado.

Quanto mais comprometimento houver, mais rara a necessidade de contar com novas antecipações de recebíveis, para livrar sua empresa do vermelho. O ideal é que essa modalidade de crédito venha para lhe auxiliar a crescer, tornando possíveis os investimentos que parecem grandes para seu negócio e que só precisam de um impulso e certa segurança para alavancar seus negócios. Conte com a antecipação sobretudo para isso, e logo ela passará a fazer parte da vida financeira da sua empresa e tornar-se-á parceira em investimento e crescimento. Qualquer linha de crédito, por mais atraente que seja, é pensada para casos em que as empresas estão precisando de valor que não possuem naquele momento. Por isso nem sempre é um investimento acertado. Mas sua empresa pode precisar de um dinheiro a mais não apenas em casos de emergência, mas também quando você nota a necessidade de melhora.

Em tempos de Covid-19 ou não, seu negócio sempre poderá contar com um amigo de mercado que traz uma nova forma de vender e conquistar um espaço promissor. Quanto mais sua empresa conseguir caminhar com as próprias pernas, contando com linhas de crédito apenas para mais crescer, mais garantia você terá de que as crises externas não irão comprometer tudo que foi construído até aqui.

11. Perguntas frequentes

1. Como calcular, em média, o valor das taxas de juros, de acordo com sua necessidade de antecipação?

Cada instituição trabalha com uma taxa de juros. Elas variam entre 1% e 3% ao mês. Assim sendo, multiplique o valor da taxa do banco à quantidade de parcelas de antecipação que você deseja contratar. O resultado deste cálculo significa a quantia em dinheiro que o provedor do serviço irá receber do valor total a que sua empresa tem direito.

Antecipação de recebíveis: o guia para fazer crescer o seu negócio

2. Que instituições oferecem esse tipo de serviço?

As empresas securitizadoras apresentam seus serviços de diferentes formas e, muitas delas, estão disponíveis nas plataformas digitais. Estas empresas, variadas como são, oferecem diferentes cláusulas contratuais, modificando as taxas de juros e adesão, o tempo para receber a antecipação e as responsabilidades nos casos em que os clientes devedores não cumprem com as responsabilidades. Um exemplo de empresa que oferece esse serviço é a Firma Capital.

3. Em qual grupo de financiamentos a antecipação de recebíveis se encaixa?

Entre as opções (crédito, empréstimo e financiamento), a antecipação se enquadra no tipo crédito, já que converte futuros rendimentos em lucros imediatos. Diferente das outras modalidades de linha de crédito, esta não gera dívidas futuras.

4. Existe limite para valores ou meses de antecipação?

Não. É você que precisa conferir quanto vale a pena ser antecipado, já que, quanto maior este valor, maior o que a instituição contratada irá receber.

5. Qualquer título pode ser antecipado?

Informações como esta variam de acordo com cada instituição. É preciso consultar a política de antecipação das instituições que oferecem esse serviço.

6. Pessoas jurídicas podem solicitar antecipação de recebíveis?

Não. Esta opção de crédito é oferecida apenas à pessoas jurídicas.

12. Saiba onde antecipar seus recebíveis

Agora que você já sabe tudo que precisa sobre antecipação de recebíveis e o trabalho de empresas securitizadoras, você deve estar se perguntando “onde realizar minha antecipação, então?”.

Se sua empresa tem recebíveis para antecipar, precisa de capital de giro imediato e não quer recorrer às taxas de empréstimos, conheça a Firma Capital, uma empresa securitizadora que existe há mais de dez anos no mercado, trabalhando com agilidade, parceria e transparência; buscando entender a sua empresa para te entregar a melhor solução possível.

Acesse nosso site e encontre o parceiro que vai fortalecer o seu caixa com a solução certa para capital de giro.