Entenda o que é o blockchain

Entenda o que é o blockchain

A blockchain surgiu em 2008 para permitir que o bitcoin fosse criado. Segundo o documento que descreve o funcionamento do bitcoin, ela é “uma rede que marca o tempo das transações, colocando-as em uma cadeia contínua no ‘hash’, formando um registro que não pode ser alterado sem refazer todo o trabalho”.

No bitcoin, ela pode ser entendida como o conjunto de regras que fazem a moeda funcionar. É ela que determina, por exemplo, quantas transações são necessárias para encher um bloco.

Entenda o que é o blockchain

O que é blockchain?

É uma espécie de grande “livro contábil” que registra vários tipos de transações e possui seus registros espalhados por vários computadores. No caso das moedas criptografadas, como o bitcoin, esse livro registra o envio e recebimento de valores. Para facilitar, pode-se fazer a seguinte analogia: as “páginas” desse “livro contábil” estão armazenadas em várias “bibliotecas” espalhadas pelo mundo; por isso, apagar o conhecimento presente nele é uma árdua tarefa.

Este sistema é formado por uma “cadeia de blocos”. Um conjunto de transações é colocado dentro de cada um desses blocos, que são trancados por uma forte camada de criptografia. Por outro lado, a blockchain é pública, ou seja, qualquer pessoa pode verificar e auditar as movimentações registradas nela.

Entenda o que é o blockchain

Como funciona:

O propósito de uma blockchain é similar ao de um livro contábil ou cartório: registrar informações verdadeiras e valiosas. No caso da bitcoin, por exemplo, o mecanismo busca demonstrar que o dinheiro saiu do ponto “A” e foi para o ponto “B”, sem riscos de fraude, roubos, desvios etc.

Blocos: Nesse sentido, a primeira funcionalidade a ser destacada é o próprio registro, que é feito nos chamados blocos. Essas unidades contêm as informações de interesse, como o horário de geração do bloco, de que carteira saiu a moeda, para que carteira ela foi, qual era a movimentação imediatamente anterior etc.

Ocorre que as informações são transformadas em códigos, que farão parte do processo de autenticação e mudança do conjunto de dados. Isto é, por detrás dos panos, cada transação é uma mudança em um conjunto de números e letras, realizada com o auxílio de cálculos matemáticos complexos.

Mineradores: Tais cálculos são operados por diversos computadores interligados em uma rede. Esses contribuem com sua capacidade de processamento e, necessariamente, com gastos de energia elétrica. Por isso, no caso das bitcoins, os “mineiros” são recompensados com o sorteio da criptomoeda.

Hash: No entanto, não basta que os blocos existam e contenham as informações valiosas: é preciso garantir que ninguém possa alterar o seu conteúdo. Do contrário, uma pessoa poderia realizar um pagamento e depois eliminar todos os dados da transferência, o equivalente a adulterar os livros contábeis de uma empresa.

Por isso, os blocos recebem uma espécie de impressão digital criptográfica e calculada a partir do seu conteúdo. Essa assinatura é única para cada unidade e contém letras e números. Assim, qualquer adulteração da informação muda o chamado “hash”.

Blockchain: Quando um integrante da rede tenta inserir um registro, inicia-se um processo para a formação de um novo bloco. Essa unidade é calculada a partir das novas informações e da assinatura (hash) do bloco anterior, representativo da última transação.

Assim, o conjunto das operações forma uma ampla cadeia ou corrente de blocos, em que unidades anteriores estão ligadas às posteriores. Não por acaso, a tecnologia é denominada blockchain.

Livro-razão ( ledger): Uma vez que o bloco de informações é formado, ocorre o registro em uma espécie de livro, que tem suas cópias distribuídas para todos os integrantes de uma rede. Logo, para que uma nova informação seja inserida, a conta matemática deve fechar para todos os responsáveis pela validação.

Quando você reconhece firma em um cartório, apenas o funcionário deve confirmar a autenticidade da assinatura gerada na folha de papel. Já em uma blockchain, a maioria dos responsáveis por calcular a nova hash (assinatura do bloco) deve confirmar o cálculo.

Sendo assim, se houver um comprometimento com os dados apresentados por uma das partes, as demais permanecerão íntegras e podem eliminar o erro, visto que todos dispõem de uma cópia do livro-razão.

Entenda o que é o blockchain

Vantagens do blockchain:

  • Alta confiança nas transações, afinal duas pessoas podem fazer uma troca sem que haja a supervisão de uma terceira pessoa, reduzindo riscos;
  • Alta qualidade de todas as informações, pois todos os dados da blockchain são precisos, datas, completos e consistentes;
  • Descentralização das redes, gerando maior confiabilidade, durabilidade e conservação das informações, já que a blockchain não tem um ponto central e é mais resistente a ataques;
  • Integridade de todas as transações, pois os usuários podem confiar que as operações serão executadas corretamente;
  • Alterações transparentes e inalteráveis, pois quando há qualquer mudança na blockchain, estas ficam visíveis para todos;
  • Redução de complicações e desordem, pois todas as transações são adicionadas a um único livro-razão público;
  • Transações realizadas mais rapidamente, reduzindo o tempo de compensação para minutos e com processamento 24 horas por dia e 7 dias por semana.
Entenda o que é o blockchain

Blockchain é seguro?

Na teoria, a descentralização e todo o funcionamento do sistema (explicado acima) é o que torna tudo seguro. Inclusive a tecnologia do Blockchain se tornou bem famosa no mundo todo, ganhou fama e é utilizada por outras criptomoedas (como é o caso da litecoin e ethereum).

Seria preciso uma grande infraestrutura de computadores para conseguir hackear o sistema de Blockchain. Os invasores iriam precisar alterar as transações naquele bloco, mas em milhares de computadores simultaneamente. Fazer isso é muito difícil e de extrema complexidade.

Além disso, o Blockchain pode ser utilizado para outros meios e não se restringe somente às moedas virtuais. Dessa forma, a tecnologia pode ser utilizada em contextos em que há diversos intermediários que não confiam inteiramente nas partes. Assim, o processo de Blockchain iria passar mais segurança a esse relacionamento ou troca de informações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *