Entendendo sobre a Troca de Títulos

Entendendo sobre a Troca de Títulos

O QUE SÃO TÍTULOS:

Títulos são ativos financeiros de renda fixa que literalmente é um empréstimo para alguma entidade.

Se for para o governo, e é chamado de título público. Se for para empresas, é chamado de títulos privados.

Entendendo sobre a Troca de Títulos

TIPOS DE TÍTULOS PÚBLICOS:

Acumulação: Tesouro IPCA+, tesouro Prefixado e Tesouro Selic.

Manutenção: Tesouro Selic e Tesouro IPCA +.

Viver de Renda: Tesouro IPCA+ com juros semestrais e Tesouro Prefixado com juros semestrais.

Entendendo sobre a Troca de Títulos

TIPOS DE TÍTULOS PRIVADOS:

CDB: São títulos emitidos por bancos para que eles utilizem esses recursos como capital de giro ou disponibilizando empréstimos para seus clientes. A remuneração pode ser pós ou pré-fixada.

LCI e LCA: São títulos emitidos por bancos, mas cujos recursos só podem ser destinados para financiar projetos agrícolas, no caso da Letra de Crédito Agrícola (LCA), e imobiliários, no caso da Letra de Crédito Imobiliário (LCI). A remuneração pode ser pré ou pós-fixada.

LC: São títulos emitidos por financeiras para que eles utilizem estes recursos, disponibilizando empréstimos ou capital de giro para seus clientes. A Letra de Câmbio (LC) também remunera o investidor com pagamento de juros, seguindo a taxa oferecida no momento da compra.

DEBÊNTURES: São títulos emitidos por empresas para que eles utilizem estes recursos em seus projetos. Para a empresa, a vantagem de oferecer estes títulos está em arrecadar recursos e programar o pagamento do título de acordo com seu fluxo de caixa. A remuneração das debêntures varia conforme o que é oferecido pela instituição, mas a maioria também remunera o investidor com pagamento de juros.

COE: É um tipo de investimento estruturado que reúne tanto títulos como ações. Na maior parte dos casos, você recebe a garantia de ter de volta pelo menos o valor inicial que foi investido.

Entendendo sobre a Troca de Títulos

TRANSFERÊNCIA DE TÍTULOS:

É possível transferir títulos de Renda Fixa (como os títulos do Tesouro), ações e fundos imobiliários, que são transações feitas de forma mais comum. Porém, também estão previstas as transferências de fundos de investimento.

Como fazer?

Ao definir a instituição na qual pretende ficar com seus ativos custodiados, você deve proceder a abertura de conta na instituição de destino e realizar a Solicitação de transferência de valores mobiliários.

Nos casos de Fundos de investimento, é possível  por meio de uma Carta de solicitação semelhante à STVM, solicitar alteração da instituição que consta como distribuidora do Fundo para o investidor. No fundo, a figura do distribuidor é quem faz o relacionamento com o investidor, realizando a venda dos investimentos.

Nesse caso, o distribuidor pode ser alterado desde que se altere para uma instituição que também distribua esse fundo.


Por que transferir?

A instituição que você escolhe para guardar seus investimentos deve lhe fornecer a melhor relação custo benefício. A rentabilidade de suas operações deve ser influenciada de maneira menos prejudicial possível pelas taxas cobradas pelas corretoras.

Dessa forma, com a crescente concorrência nesse mercado, é possível que você encontre uma instituição que lhe atenda com um custo justo, e que lhe ofereça um serviço de qualidade. E agora que você já sabe que é possível transferir investimentos para outra instituição, fica muito mais fácil tomar uma decisão e optar, se for o caso, por uma nova instituição financeira para se relacionar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *