Saiba como fazer a análise de risco da sua empresa

Saiba como fazer a análise de risco da sua empresa

Prevendo ou não, sabendo que eles existem ou acreditando que tudo é favorável, os riscos para seu negócio existem. Estes que podem impedir o crescimento do negócio sempre estão lá, ou melhor, sempre andam bem perto. Por isso, é mais inteligente pensar: como fazer a análise dos riscos da sua empresa e o que fazer com eles?

Sendo assim, conhecê-los é a forma mais inteligente de saber lidar com eles e com os seus efeitos que, ora ou outra, visitam empresas ou organizações, independentemente do seu tamanho. Mas, é preciso lembrar, também, que os riscos auxiliam, e muito, no processo de desenvolvimento de uma empresa. Isso porque mostram suas forças e fraquezas: onde se pode crescer e os pontos fracos que podem colocar tudo a perder.

E é nessa perspectiva que as empresas melhor podem se desenvolver. É quando se capacitam o suficiente não só para enfrentar as incertezas que não necessariamente já se fazem notar mas que ainda não estejam influenciando negativamente em qualquer uma das etapas de funcionamento do negócio.

Mas os riscos existem, e quando eles mostrarem seu rosto? Como analisar seu potencial para sua empresa? Até onde um risco pode ser saudável para seu negócio?

Em que o conhecimento dos riscos pode ajudar?

Saiba como fazer a análise de risco da sua empresa
Apesar do fato de sempre existirem, e assustarem, os ricos também pode ajudar, e muito!

1. Prever o impacto que os ventos contrários podem gerar. Aliás, podem simular situações adversas e, ao mesmo tempo, idealizar possíveis mudanças. Sua presença deve deixar a equipe em constante alerta;

2. Identificar erros e acertos. Sem dúvida é preciso fazer isso com especial atenção para as práticas errôneas e viciosas. Elas podem se somar aos riscos que, inevitavelmente, já existem. É bom levar em conta o popular dizer: ”sempre pode piorar”;

3. Melhorar as rotinas deficientes e dar maior resolutividade aos processos, desde os mais simples, evitando engasgos nas etapas de funcionamento.

Conheça aqui um parceiro que pode lhe ajudar nisso;

Como se dividem os riscos?

Conhecidos e desconhecidos

São aqueles que fazem parte das possibilidades e da ciência de um gestor ou que dificilmente pode ser previstos e, em sua maioria, surpreendem. Aliás, aqui entram os riscos que, ora ou outra, o gestor e equipe acabará por tomar conhecimento deles;

Positivos e negativos

Os positivos têm um potencial de melhorar os processos e eliminar excessos. Por outro lado, os negativos causam efeitos que atingem diretamente pontos importantes de uma empresa, como questões financeiras, imagem ou parceiros de negócio;

Gerais

Estes se encaixam em todo tipo de empreendimento, sendo, em sua maioria, previsíveis e individuais (no sentindo de atingir áreas específicas de um negócio também específico. Surgem em setores pontuais e têm potencial de afetar consideravelmente a estrutura do negócio, uma vez que não sejam amplamente, e obrigatoriamente, conhecidos;

Conhecê-los e monitorá-los

O processo de monitoramento dos riscos não tem um início e fim. Ele deve se estender durante toda a vida da empresa e se adaptar aos possíveis novos desafios que o mercado oferece ou pode fazer surgir. Analogamente, é preciso planejamento! E isso se dá por meio do acompanhamento por dentro e por fora: consultando o corpo dos funcionários e identificando suas forças e fraquezas, verificando com frequência a qualidade de operação dos sistemas e de máquinas, os valores que entram e saem e os perigos e possibilidades em projetos que devam ser desenvolvidos.

Aliás, note que os riscos não irão faltar, por isso saiba como lidar com eles e o que fazer para tirar daí o combustível que pode acelerar o crescimento que sua empresa pode estar precisando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *