Saiba como lidar com a LGDP no seu food service

Saiba como lidar com a LGDP no seu food service

Você que é empreendedor, sabe o significado de LGPD? E como lidar com ela no seu food service? No ambiente online, que é onde está grande parte dos negócios de alimentos, a LGPD surge como uma parceira a favor dos consumidores. Para os empreendedores, é melhor ficar atento ao que essa lei visa alcançar. Mas em que consiste a LGPD, como lidar com ela no seu food service?

Quando no tempo em que os negócios eram apenas físicos, e não se falava de vitrines virtuais, muito se investia com o que é próprio desta realidade. A sensação de conforto e segurança do cliente, por exemplo, não era – nem deveria, como também não deve ser – uma opção apenas a se pensar. É urgente e impacta diretamente no resultado final de uma venda essa sensação de que determinado ambiente é seguro e confiável. Nos dias de hoje, essa sensação pode ser oferecida por meio de sistemas seguros, que preservam os dados dos clientes que estão presentes, principalmente, no ambiente virtual. É nesse contexto que surge a LGPD. Por isso, se você é empreendedor e lida com o ramo de alimentos, por exemplo, precisa conhecer essa sigla e saber como lidar com ela.

Nos tempos de hoje, quando os negócios do ramo alimentício passam por constantes transformações, e quando nem toda loja é física nem físicos são os instrumentos que garantem essa segurança, é preciso se desdobrar para asseverar isso ao cliente: ele não correrá riscos ao disponibilizar seus dados pessoais ao pagar uma compra pelo cartão, transferência bancária, ou quando fornecer seu endereço e outros dados que levem até ele.

É isso que a LGPD propõe – e vai passar a impor – ao seu negócio.

Mas em que consiste a LGPD?

A lei geral de proteção de dados entrou em vigor em 2020. Mas até agosto deste ano os empreendedores e seus negócios poderão contar com um período de adaptação para entrar nos padrões exigidos pela lei. Por isso saiba como aderir às novas exigências que serão impostas. Elas preveem que os dados dos clientes (números de cartão, telefone, endereço) não podem estar expostos nem ser usados de forma indevida.

O que muda após sua aplicação e como lidar com a lei?

Na prática, as empresas só poderão arquivar e trabalhar com os dados dos seus clientes quando eles consentirem. É sabido que essas informações são muito úteis para os processos de desenvolvimento interno das empresas – disto falaremos já – mas os clientes precisam conhecer ao menos o básico disso tudo, por exemplo, como os dados serão usados e quem fará isso. Daí a importância de conhecer, a fundo, as principais características da lei de proteção de dados.

Saiba como lidar com a LGDP no seu food service
O que muda, após a aplicação da LGPD, para clientes e negócios?

Mas, afinal, para que servem os dados dos clientes e como utilizá-los obedecendo a lei?

01 Conhecimento do público-alvo

É uma eficaz forma de conhecer o público, de forma geral, que consome seus produtos e especializar-se neles. Tenha esse conhecimento cumprindo os regimentos da lei, que exige que os clientes estejam cientes da utilização dos seus dados, e que estes sejam preservados.

02 Criação de persona

É um personagem criado, com base nas informações dos seus clientes, que sugere o tipo de pessoa que frequenta seu negócio ou visita sua página virtual. Nos padrões da lei, aqui não mora um erro. Mas a lei obriga que os negócios não usem essas informações específicas dos clientes para importuná-los.

03 Comunicação com o cliente

Tendo acesso ao endereço, e-mail e telefone do seu cliente, e podendo utilizar esses dados, fica mais fácil conversar com ele mesmo quando não está procurando ou necessitando dos seus produtos. Mas não esqueça de fazer isso preservando os direitos e dados dos clientes pesquisados. Nunca bata à porta de um cliente quando este já lhe disse não para um serviço ou produto.

04 Prospecção do seu negócio de food service

Isso acontece quando sua empresa consegue ficar próximo do cliente, mantendo-o atualizado sobre produtos, promoções e gerando envolvimento com seu negócio. Lembre-se que isso deve acontecer de forma espontânea, e não imposta. É o que garante a lei para preservar os direitos dos clientes.

Repare como as informações são importantes, mas é preciso lidar com elas com cautela, para que não ganhe força um movimento contrário: de tanto procurar e insistir com o cliente ele acaba não se interessando mais pelos seus produtos e serviços. Por isso vale a pena conhecer a fundo as melhores técnicas para atrair novos clientes, e, para isso, comece aprendendo a lidar com a LGPD no seu food service e no que isso implica para seu negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.